O Que É Psoríase: Tem Cura? Tratamento? Como Tratar? Veja Tudo Sobre Essa Doença Aqui!

Psoríase tem solução? Após ir a diversas consultas médicas e ficar desacreditado pela medicina, veja o que uma pessoa descobriu para se livrar da doença!

Psoríase tem cura? Raramente falo sobre doenças aqui no blog, pois prefiro deixar isso com a área médica. Entretanto, pesquisando pela internet conheci uma pessoa que venceu a psoríase e conta em detalhes como fez!

Antes de chegar nessa parte, preciso explicar com o máximo de detalhes possíveis, tudo sobre essa doença que afeta a saúde de muitas pessoas.

No final do artigo compartilharei o que pessoas tem usado para conseguir vencer essa doença.

Psoríase: O Que É?

É uma doença da pele pouco comum, crônica (que persiste de tempos em tempos) e não possui contágio.

Possui efeito cíclico, isto é, demonstra sintomas que somem e aparecem novamente de forma periódica. Sua origem ainda não é conhecida, entretanto sabe-se que ela pode ter ligação com:

  • o convívio com o meio ambiente;
  • à sensibilidade (propensão) genética;
  • o sistema imunológico.

A medicina (ciência) tem a convicção de que ela se forma quando os linfócitos T (células que tem como função principal defender o organismo) soltam substâncias que inflamam e formam vasos.

Então são iniciadas algumas respostas imunológicas que contém dilatações dos vasos sanguíneos da derme (pele) e a infiltração da pele com células responsáveis pela defesa (conhecidas como neutrófilos).

A produção dos neutrófilos aumenta a medida que as células da derme ( da pele) estão sofrendo ataques. Isso provoca uma aceleração de seu ciclo de evolução. Ocasionando uma elevada produção de escamas por causa dessa “imaturidade das células”.

fonte: QualityCare

Infelizmente esse ciclo permite que todas as células falecidas não possam ser eliminadas de forma eficiente, causando aquelas manchas espessas e escamosas na derme/pele.

Geralmente, esse ciclo/processo só é interrompido com tratamento.

E é exatamente sobre isso (o tratamento e a cura da psoríase) que me levou a escrever esse artigo!

Segundo os dermatologistas as pessoas ao redor não precisam se preocupar: a doença não possui contágio e o contato com pacientes pode ocorrer normalmente.

É comum a conexão da psoríase e artrite psoriática com doenças gastrointestinais, doenças cardio metabólicas,  e vários tipos de cânceres e desregulação do humor.

A patogênese (mecanismo) das comorbidades (existência de 2 ou mais doenças num mesmo paciente) em pessoas afetadas pela psoríase continua desconhecida.

Contudo, existe o entendimento de que vias inflamatórias ordinárias, mediadores celulares e sensibilidade genética estão envolvidos.

Sintomas da Psoríase

crédito das imagens: https://www.webmd.com

Mudam de paciente para paciente, de acordo com o tipo da doença. Podendo incluir:

  • Coceira, queimação e dor;
  • Inchaço e rigidez nas articulações;
  • Manchas avermelhadas com escamas secas esbranquiçadas ou prateadas;
  • Pequenas manchas brancas ou escuras residuais pós lesões;
  • Rachaduras e ressecamento da pele (podendo ter sangramento);
  • Unhas com descolamento, grossas, com depressões puntiformes e sulcadas;

Nos casos onde há psoríase moderada é provável que tenha somente um desconforto por causa dos sintomas.

Já nos casos onde há maior gravidade, pode ser dolorosa e causar mudanças que impactam verdadeiramente na qualidade de vida do paciente e em sua autoestima.

Se você ainda não foi ao médico, procure um o mais rápido possível.

Possíveis Causas

Existem outros fatores que podem elevar as chances de uma pessoa contrair a doença ou prejudicar ainda mais o quadro clínico já existente. São eles:

Histórico familiar

Estatísticas apontam que cerca de 30% a 40% das pessoas com psoríase possuem histórico da doença na família.

Por isso umas das possíveis causas biológicas é a susceptibilidade genética.

Estresse

Está comprovado que pessoas com elevados níveis de estresse tem um sistema imunológico prejudicado.

E aqui vale um alerta: nunca se permita estar em locais ou com pessoas estressantes. Sua vida é o bem mais precioso que você possui!

Obesidade

Infelizmente a obesidade (mais uma vez) é prato cheio para aquisição de doenças.

O peso em excesso pode elevar e agravar o risco de ter algum tipo de psoríase.

A psoríase invertida é mais frequente em pessoas da pele negra e em pessoas com HIV positivo.

Tempo frio

Esse clima faz com que a pele fique mais propensa a ter ressecamento.

A psoríase costuma melhorar com a exposição ao sol.

Consumo de bebidas alcoólicas e Tabagismo

A bebida alcoólica interfere e muito no sistema imunológico (e psíquico) da pessoa.

Não é a toa que tanto ela quanto o cigarro, não só aumentam os risos de ter a doença, assim como a gravidade da mesma quando se manifesta.

Tipos de Psoríase

Há diversos tipos de psoríase.

O dermatologista é o médico correto para identificar, classificar e recomendar a melhor opção terapêutica para a doença.

De acordo com o tipo de psoríase ou do estado do paciente, os períodos/ciclos de psoríase podem ter duração de poucas semanas até alguns meses.

Psoríase em placas ou vulgar

Esse é o tipo mais comum da doença.

Desenvolve placas avermelhadas, secas e com escamas de aparência esbranquiçada ou prateada.

Essas placas provocam coceira e causam dor em alguns momentos. Também podem afetar todas as partes do corpo, inclusive as partes íntimas (genitais).

Em casos mais graves, a pele pode rachar e sangrar ao redor das articulações.

Psoríase ungueal

Esse tipo da doença atinge as unhas das mãos e dos pés, fazendo com que a unha cresça de forma anormal, ficando grossa, escame, mudando a coloração e até mesmo se deformando.

Há casos em que a unha chega a descolar do leito ungueal (dói só de imaginar!)

Psoríase do couro cabeludo

Começam a surgir algumas áreas com vermelhidão incluindo escamas espessas esbranquiçadas e/ou prateadas, praticamente depois de coçar.

O indivíduo que possui esse tipo de doença, em algum momento, pode vir a observar os flocos de pele morta em seus fios capilares ou em seus ombros, principalmente após coçar a cabeça.

Se parece muito com a caspa.

Psoríase gutata

A psoríase gutata normalmente tem início através de infecções bacterianas. Um bom exemplo para citar é a infecção de garganta.

Tem como característica o surgimento de pequenas feridas nos braços, no couro cabeludo e nas pernas.

Uma escama fina cobre esse tipo de ferida. Isto diferencia das outras psoríases que possuem escamas grossas.

A psoríase gutata ocorre em crianças e pessoas jovens com menos de 30 anos.

Psoríase invertida

Esse tipo de psoríase geralmente afeta as axilas, embaixo dos seios, em torno dos genitais, nas virilhas. Ou seja, em áreas que possui umidade.

As manchas são inflamadas e tem aparência avermelhada.

Quanto mais suor ocorrer na área e quanto mais atrito tiver, essa doença piora e se prolifera!

Em indivíduos obesos há também o risco dessa doença piorar.

Psoríase pustulosa

Neste tipo de psoríase há uma grande probabilidade de surgirem bolhas pequenas ou pústulas (aparenta ter pus) em pequenas áreas como por exemplo:

  • dedos (conhecida como psoríase palmoplantar);
  • mãos;
  • pés.

Ou até mesmo surgir no corpo por completo.

Esse tipo de psoríase normalmente desenvolve-se de forma acelerada. As bolhas contendo pus surgem pouco tempo (questão de horas) após a pele ficar avermelhada.

As bolhas ficam secas no período de 1 ou 2 dias, podendo surgir novamente ao longo de dias e semanas.

Outra parte ruim é que a forma generalizada da psoríase pustulosa geralmente provoca calafrios, fadiga, intensas coceiras, febre.

A psoríase pustulosa generalizada pode causar febre, calafrios, coceira intensa e fadiga.

Psoríase eritodérmica

Este tipo de psoríase é o mais raro!

Ataca o corpo por completo com manchas avermelhadas que geralmente ardem intensamente ou coçam, causando manifestações sistematizadas.

Esse tipo da doença tem chance de surgir quando:

  • há queimaduras consideradas graves;
  • há infecções;
  • há tratamentos intempestivos (como a utilização ou a interrupção abrupta de corticosteroides);
  • outros tipos de psoríase não são controladas corretamente.

Psoríase artropática

Esse tipo da doença também é chamada de artrite psoriática.

Elas provoca dores agudas nas articulações, descamação e inflamação na pele.

Normalmente atinge a articulação dos dedos (das mãos e dos pés), da coluna e das juntas dos quadris.

Há grande chance de provocar rigidez progressiva, além de permanentes deformidades.

Esse tipo de psoríase pode estar relacionada com qualquer outro tipo clínico da doença psoríase.

Tratamentos para Psoríase

Saiba que cada versão e gravidade da psoríase pode ter resultados positivos a determinado tipo de tratamento (ou a um conjunto diferente de terapias).

O que tem resposta positiva para um paciente pode não funcionar para outro, por isso que o tratamento da psoríase geralmente é exclusivo.

CURA DEFINITIVA DA PSORÍASE
Entretanto, existe uma METODOLOGIA COMPROVADA cientificamente que cura essa doença sem causar efeitos colaterais. Clique na imagem abaixo para conhecer!

O método acima é o único reconhecidamente que elimina essa doença de forma natural sem recorrer a remédios ou químicas!

Além disso, colocarei aqui abaixo as opções paliativas conhecidas.

Atualmente existem várias opções terapêuticas acessíveis. É possível ter uma pele sem ou quase sem lesões, não importando a gravidade da doença psoríase.

Os tratamentos conhecidos são fundamentais para manter uma qualidade de vida de forma satisfatória.

Tratamento: Casos leves

Nos casos considerados leves recomenda-se:

  • aplicação de remédios tópicos (pomadas) diretamente no local das lesões;
  • expor-se diariamente ao sol, nos horários e tempo apropriados e seguros;
  • hidratação da pele;

Essas recomendações (feitas por um médico) geralmente bastam para contribuir na melhora do quadro clínico e na eliminação dos sintomas.

Tratamento: Casos moderados

Geralmente quando as medidas acima não surtirem efeito, a psoríase é constatada como moderada.

Nesse caso, o tratamento com exposição à luz ultravioleta A (PUVA) ou ultravioleta B (banda estreita) em cabines torna-se fundamental.

Essa tipo terapêutico usa a combinação de medicamentos que elevam a sensibilidade da pele à luz.

Tratamento: Casos graves

Nos casos mais graves, recomenda-se começar tratamentos através de remédios via oral ou medicação injetável.

Tipos de tratamento mais comuns para a psoríase são:

Tratamento tópico

Nessa categoria estão os medicamentos em cremes e as pomadas. Esse tipo de tratamento é aplicado na pele.

Sua utilização pode ocorrer junto com outras terapias ou apenas de forma isolada nos casos de constatação de psoríase leve.

Tratamentos sistêmicos

Nessa categoria estão os remédios em comprimidos ou as injeções.

Normalmente são indicados para indivíduos com psoríase de grau moderada ou grave e até mesmo com artrite psoriásica.

Tratamentos biológicos

Nessa categorias estão os medicamentos e remédios injetáveis.

Esse tipo de tratamento é recomendado para pacientes com psoríase de grau moderado ou grave.

Há muitas classes de tratamentos biológicos para psoríase disponíveis no Brasil. São conhecidos como:

  • anti-interleucina 12 e 23 (ustequinumabe);
  • anti-interleucina 17 (secuquinumabe);
  • anti-TNFs (como adalimumabe, etanercepte e infliximabe).

Fototerapia

Esse tipo de tratamento é feito através da exposição da pele à luz ultravioleta de maneira reiterada e com supervisão do médico (ou equipe médica). O tratamento somente deve ser feito por profissionais especializados.

Geralmente a psoríase tem um impacto decisivo na autoestima e na qualidade de vida do paciente. Consequentemente levando a uma piora no quadro clínico.

Nesse caso recomenda-se acompanhamento psicológico.

Alguns fatores que potencializam a melhora e a eliminação dos sintomas desta doença são:

  • alimentação equilibrada;
  • praticar exercícios físicos moderadamente.

Por motivos médicos devemos sempre lembrar que a pessoa não deve interromper o tratamento prescrito pelo médico sem o consentimento do mesmo. Os médicos dizem que essa atitude pode agravar a psoríase e piorar o quadro clínico.

Como Prevenir a Psoríase

Quando a pessoa adota um estilo de vida equilibrado e saudável ela contribui para a diminuição do avanço da doença e até menso na melhora.

É fundamental que a pessoa esteja atenta aos sinais.

Caso você perceba o surgimento dos sintomas, procure um dermatologista imediatamente. Quanto mais cedo for o diagnóstico, mais fácil será o tratamento da psoríase.

Cura da Psoríase

Antes de falar sobre a cura da psoríase, preciso fazer um resumo do que falei no artigo para depois mostrar para você como você conseguirá dar adeus a essa doença. Acredite, você entenderá do que estou falando e tudo fará mais sentido.

Resumindo:

Segundo a ciência, a psoríase é uma doença crônica, onde a cura ainda não foi descoberta por ela. Havendo apenas tratamentos paliativos no momento em que seus sintomas surgirem.

Acredita-se que é uma anomalia/doença genética, que possui como características as manchas vermelhas e a descamação da pele.

Um dos seus sintomas mais frequentes é a coceira no região afetada. A aparência das manchas pode parecer repugnante, por causa do tamanho elevado e do surgimento de placas prateadas/esbranquiçadas.

Estas placas podem surgir em qualquer parte do corpo (inclusive as genitais), entretanto ocorrem com mais facilidade no couro cabeludo, nos cotovelos e nos joelhos.

Esta doença não é contagiosa e pode piorar se a pessoa se encontrar num momento de desequilíbrio emocional como por exemplo nos casos de:

  • estresse;
  • excesso de trabalho;
  • tristeza;
  • entre outros.

Para diagnosticar esta doença é necessário uma observação médica. A confirmação pode ser feita através de uma biópsia da pele afetada.

Cuidados da Psoríase

O tratamento médicos atuais para a Psoríase somente disponibiliza alívio periódico dos sintomas e é baseado em pomadas, loções e cremes à base de alcatrão e coaltar, que reduzem a irritação na pele, e remédios/medicamentos à baseados em corticoides.

É necessário:

  • adquirir uma alimentação saudável com frutas e verduras,
  • aumentar diariamente a exposição ao sol em horários seguros,
  • evitar ao máximo as situações de estresse,
  • evitar o fumo e o consumo alcoólico

Estas são algumas recomendações para a prevenção de um novo surgimento da psoríase.

É normal o surgimento de psoríase nas mãos e nos pés!

Psoríase Tem Cura Sim

Clique na imagem para conhecer

Encontrei um material incrível e muito esclarecedor. Esse material é baseado em comprovação científica para curar a psoríase.

Este estudo, pesquisa e testes foi feito sem a participação desses laboratórios que só visam o lucro! (e que formulam medicamentos com efeitos colaterais e que muitas vezes nos tornam dependentes).

Para saber que material é esse você deve clicar aqui agora!

O médico do futuro raramente prescreverá remédios. Ao invés disto, buscará inspirar seus pacientes a ter cuidado com sua estrutura humana, sua dieta e com a causa e a prevenção de doenças. – Thomas Edison

É um método que teve resultados satisfatórios e comprovados clinicamente. Teve como base mais de 40 mil horas de pesquisa, estudo e especialização.

Contribuiu para que milhares de pessoas eliminasse de vez a doença psoríase.

É a única metodologia necessária para acabar de vez com a psoríase.

Se você seguir este método a risca, será possível eliminar a psoríase e evitar o ressurgimento, se livrar do estresse, da depressão e do constrangimento relacionado a está terrível doença.

Elevar sua vitalidade e contribuir drasticamente para a melhora de seu sistema imunológico, melhorando sua autoconfiança e sua autoestima.

E o melhor de tudo é que esse método funciona com todos os tipos de psoríase:

  • artrite psoriática;
  • eruptiva;
  • eritro dérmica;
  • placas;
  • pustulosa;
  • reversa.

Muitas pessoas preferem não comprometer saúde da sua pele com medicamentos que possuem efeitos colaterais. Elas utilizam tudo que é natural e eficaz para curar a psoríase! Como o método apresentado.

 

 

O Que É Psoríase: Tem Cura? Tratamento? Como Tratar? Veja Tudo Sobre Essa Doença Aqui!
4.8 (95%) 48 votes

 

 

Atenção!

NUNCA faça automedicação ou cancele o uso de algum medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele prescreverá qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais recomendado para seu caso específico. As informações contidas nesse site possuem somente a intenção de informar, não querendo, em hipótese alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.