Remédio para Menopausa – Medicamento Natural

Finalmente descobrimos um remédio/tratamento 100% natural para a menopausa que realmente funciona. Conheça agora!

Qual é o melhor remédio para menopausa e quais são as opções de tratamento que existem para lidar com esse período?

Muitas pessoas entraram em contato e através de muita pesquisa descobrimos um remédio/suplemento totalmente natural que atua diretamente para aliviar/acabar com os sintomas da menopausa.

Clique aqui para acessar o site oficial do produto que muitas mulheres aprovaram.

A própria menopausa é uma parte normal da vida e não uma doença que requer tratamento.

No entanto, o tratamento dos sintomas associados é possível se estes se tornarem substanciais ou graves.

Elimine de vez os piores sintomas que a menopausa causa!

  • Reduz o estresse e a irritação
  • Atenua os fogachos (aquele calorão)
  • Controla/normaliza o ciclo da menstruação
  • Aumenta a qualidade do sono (previne a insônia)
  • Aumenta a disposição sexual e a libido

Efeitos Colaterais

Esse remédio para a menopausa não prejudica sua saúde por ser 100% natural!

Além de não possuir efeitos colaterais, você perceberá uma melhora naqueles sintomas oriundos da menopausa como por exemplo: no nervosismo, na ansiedade, no ressecamento vaginal, na depressão, na redução da libido, na memória fraca, na sensação de calor, nas dores de cabeça e outros sintomas.

Na Europa e nos Estados Unidos milhares de mulheres já confirmaram as vantagens e os benefícios desta opção mais saudável e recomendam a utilização deste produto aqui.

Análises clínicas aleatórias comprovaram de forma significativa a eficiência deste remédio natural para menopausa. Veja alguns depoimentos tirados da página do produto:

E o mais importante: no site oficial do produto e dito que esse medicamento para menopausa é recomendado por médicos!

Como não sou vendedora, me sinto na obrigação de informar outras alternativas existentes, mas que de alguma forma possuem riscos para sua saúde. Veja:

Tratamento hormonal e terapia para menopausa

Terapia com estrógeno e progesterona

A terapia hormonal (TH), também referida como terapia de reposição hormonal (TRH) ou terapia hormonal pós-menopausa (PHT), consiste em estrogênios ou uma combinação de estrogênios e progesterona (progestágeno).

A terapia hormonal tem sido usada para controlar os sintomas da menopausa relacionada a níveis de estrogênio em declínio, tais como ondas de calor e secura vaginal.

Mas os estudos de longo prazo de mulheres que receberam terapia hormonal combinada com estrogênio e progesterona foram interrompidas quando descobriu que essas mulheres tinham maior risco de ataque cardíaco, acidente vascular cerebral e câncer de mama quando comparado com mulheres que não receberam TH.

Estudos posteriores de mulheres que tomaram terapia com estrogênio sozinhos mostraram que o estrogênio estava associado a um risco aumentado de AVC, mas não para ataque cardíaco ou câncer de mama.

Riscos

A terapia de estrogênio, por sua vez, está associada a um risco aumentado de desenvolver câncer de endométrio (câncer do revestimento do útero) em mulheres na pós-menopausa que não tiveram o útero removido cirurgicamente.

Houve um interesse crescente nos últimos anos no uso da chamada terapia hormonal “bio idêntica” para mulheres peri menopáusicas. As preparações hormonais bio idênticas são medicamentos que contêm hormônios que possuem a mesma fórmula química que as produzidas naturalmente no organismo.

Os hormônios são criados em um laboratório, alterando compostos derivados de produtos vegetais que ocorrem naturalmente.

Alguns desses chamados preparativos para hormônios bio idênticos são aprovados pela FDA nos Estados Unidos e fabricados por empresas farmacêuticas, enquanto outros são fabricados em farmácias especiais chamadas farmácias de manipulação.

Como produtos TH trans dérmicos, os produtos de terapia hormonal bio idêntica são administrados por via trans dérmica. Eles são tipicamente aplicados como creme ou gel.

Efeitos Colaterais

Seus defensores acreditam que seu uso pode evitar efeitos colaterais potencialmente perigosos dos hormônios sintéticos utilizados na terapia hormonal convencional. No entanto, estudos para estabelecer a segurança ea eficácia a longo prazo desses produtos não foram realizados.

A decisão sobre a terapia hormonal é uma decisão muito individual em que o paciente e o médico devem levar em consideração os riscos e benefícios inerentes ao tratamento, juntamente com o histórico médico de cada mulher.

Atualmente, é recomendável que, se a terapia hormonal for usada, ela deve ser usada na menor dose efetiva pelo menor tempo possível. Atualmente, é recomendado que a terapia hormonal seja utilizada se o equilíbrio de riscos e benefícios for favorável para a mulher.

Contraceptivos orais e tratamentos vaginais para a menopausa

Pílulas anticoncepcionais orais

As pílulas contraceptivas orais são outra forma de terapia hormonal freqüentemente prescrita para mulheres em perimenopausa para tratar sangramento vaginal irregular.

Antes do tratamento, o médico deve excluir outras causas de sangramento vaginal errático. As mulheres na transição na menopausa tendem a ter hemorragia considerável durante o tratamento com estrogênio.

Portanto, os contraceptivos orais são freqüentemente administrados a mulheres na transição da menopausa para regular os períodos menstruais, aliviar os ondas de calor, bem como fornecer contracepção.

A lista de contra-indicações para contraceptivos orais nas mulheres que passam pela transição da menopausa é a mesma que a das mulheres pré-menopáusicas.

Tratamento hormonal local (vaginal) e não hormonal

Existem também tratamentos hormonais locais (que se aplicam diretamente à vagina) para os sintomas de deficiência vaginal de estrogênio.

Os tratamentos locais incluem o anel de estrogênio vaginal (Estring), creme de estrogênio vaginal ou comprimidos de estrogênio vaginal. Os tratamentos locais e orais de estrogênio às vezes são combinados para esse fim.

Agentes hidratantes vaginais, como cremes ou loções, bem como o uso de lubrificantes durante a relação sexual, são opções não-hormonais para gerenciar o desconforto da secura vaginal.

Antidepressivos e outros medicamentos para a menopausa

Medicamentos antidepressivos e medicamentos relacionados demonstraram ser efetivos no controle dos sintomas de ondas de calor em até 60% das mulheres.

No entanto, medicamentos antidepressivos podem estar associados a efeitos colaterais, incluindo diminuição da libido ou disfunção sexual.

Outros remédios para a menopausa prescritos demonstraram fornecer algum alívio para os fogachos, embora seu propósito específico não seja o tratamento de ondas de calor.

Tudo isso pode ter efeitos colaterais, e seu uso deve ser discutido e monitorado por um médico. Alguns desses medicamentos que foram mostrados para ajudar a aliviar os fogachos incluem a droga gabapentina (Neurontin) e clonidina (Catapres), um medicamento usado para tratar a pressão arterial elevada.

Agora abordarei alguns tipos de medicamento caseiro que pode ajudar. Veja:

Remédios caseiros para menopausa

Estrogênios vegetais (fitoestrógenos, isoflavonas)

As isoflavonas são compostos químicos encontrados na soja e outras plantas que são fitoestrógenos ou estrogênios derivados de plantas.

Eles têm uma estrutura química semelhante aos estrogênios produzidos naturalmente pelo organismo, mas sua eficácia como estrogênio foi estimada em muito menor que os estrogênios verdadeiros.

Dois tipos de isoflavonas, genisteína e daidzeína, são encontrados em grãos de soja, ervilhas e lentilhas e são considerados os estrogênios mais potentes dos fitoestrógenos.

Estudos têm demonstrado que esses compostos podem ajudar a aliviar ondas de calor e outros sintomas da menopausa. Em particular, as mulheres que tiveram câncer de mama e não querem tomar terapia hormonal (TH) com estrogênio às vezes usam produtos de soja para aliviar os sintomas da menopausa.

Há também uma percepção entre muitas mulheres que planta os estrogênios são “naturais” e, portanto, mais seguras do que TH, mas isso nunca foi provado cientificamente. Pesquisas adicionais são necessárias para caracterizar completamente a segurança e os potenciais riscos dos fitoestrógenos.

Vitamina E

Algumas mulheres relatam que os suplementos de vitamina E podem proporcionar alívio de ondas de calor suaves, mas faltam estudos científicos para comprovar a eficácia da vitamina E no alívio dos sintomas da menopausa.

Tomar uma dosagem superior a 400 unidades internacionais (UI) de vitamina E pode não ser seguro, uma vez que alguns estudos sugeriram que doses maiores podem estar associadas ao risco de doença cardiovascular.

Remédios para menopausa existem em grande quantidade no mercado, mas poucos são eficazes.